" Em verdade vos digo :
Seja a Alma grande ou pequena,
escute meu amigo!
Nem tudo vale a pena!"

(zé)

[A]gosto Amargo


Quando o vento dá um nó
quando a rua junta pó
e a chuva traz a lama
Quando a fruta temporana
apodrece no cipó

Quando a vida é mais viril
Quando há fogo no pavio
Quando nasce toda Ana
Quando ganha o homem vil
E o leão tomba na savana

Quando a noite é mais escura
Quando nasce a amargura
quando encolhe a imensidão
quando o ar é de secura
Quando seca o ribeirão

Quando o gosto é tão amargo
quanto o café que eu trago
Quando vejo, nem me lembro
Quero é que que o vento largo
me carregue prá setembro.

(Zé Gabriel F.)

4 comentários:

zu disse...

cê sabe q é um gênio, né?
um gênio q não se contenta com
agosto, gosta só de setembro.

:)

Thaís Butterfly εїз disse...

Também não gosto do mês de agosto.




Belos versos, como sempre!

Paulo Monfort disse...

Gostei bastante viu...
parabéns
agora vou continuar lendo os outros posts...rsrs

Anitha Rosenrot disse...

Que rítmo maravilhoso suas poesias tem!
Linda essa!linda,linda!