" Em verdade vos digo :
Seja a Alma grande ou pequena,
escute meu amigo!
Nem tudo vale a pena!"

(zé)

Impressões sobre Deus

Deus, velho sádico e pornográfico, sentado na imensidade, pitando cachimbo, compondo poemas, e músicas, movimentos...
Tudo que escreve com estrelas cadentes, reflete-se cá embaixo...
Vejo o mar, Soneto sem fim...
Ouço o vento, Tango psicodélico...
Mais excitado, pita com mais força!
Nuvens! Tempestades! Trovões!
Peito ofegante, liberta seus versos! Cenho franzido, suado!
Dedos trêmulos, nervosos!
Poesia, poesia, poesia!
Digreções e eufenismos e superlativos (o mar, suponho)
Melodias (o vento), vogais temáticas, paradigmas verbais (Somos nós, o "verbo" conjugado...Ser e Estar)
Pensa Ele " O verso final!"
"Verso final, duro e sublime, simples e complexo, com significado mas perfeito na forma"
Por-do-sol!
Ou morte...
Faz sentido...Por hora, por-do-sol....
Dá as costas, não precisa que comentem sobre sua obra... ( Diz ele que é perfeito)
Vai deitar...amanhã repete seu trabalho
A noite chega, estamos sós...
Apenas com alguns vesos diante de nós...
Sozinhos, graças a Deus!
A noite, agora...Página em branco....
A noite, fria, simples e entorpecente...
Vadia, sacana, decadente...

- A noite, Poesia dos Homens!
(Zé Gabriel F.)

Um comentário:

YK disse...

Belíssimo, como sempre *___*