" Em verdade vos digo :
Seja a Alma grande ou pequena,
escute meu amigo!
Nem tudo vale a pena!"

(zé)

Epifania Analógica. Poema da série " Eros & Psique"

"Oh, sejamos pornográficos! Docemente pornográficos!" (Carlos Drummond de Andrade)


Flor do vale oculto, com lábios e pétalas vermelhas...
Pulsantes...
Toco, calado, como o vento a roçar suas coxas,
E sinto! Tua flor se abrir pulsante,pulsante, pulsante...
Antes, sutilmente
Teus dedos, teus seios...
Fiz da língua, mar revolto, sem fim
Mamilos rígidos, ressaca de água e sal...
Bufante, sorri assim meio de lado...
Geme...Trêmula carne macia...
Roço em tua nuca, queixo, nariz, têmporas
Deleito-me...
Tua flor se abre!
Silenciosamente foi no início!
Com pulsar e urros no final!
Não sabia que eu, simples mortal
Podia alí, naquele vale entre coxas
Despertar um Deus!

3 comentários:

Gih! disse...

"Pornográficos! Docemente pornográficos!"

Como sempre perfeito!

=)

Yomirra Katzumi disse...

isso não é um comentário!
é?

Poizé, zé.

Paula Benevides disse...

Gostei da foto, o poema eu não li.