" Em verdade vos digo :
Seja a Alma grande ou pequena,
escute meu amigo!
Nem tudo vale a pena!"

(zé)

Carnage.

Quando talvez em sonho
Sonharmos com nossa casa de janelas grandes
onde possamos ver a chuva
Onde não seríamos nós, cansados der ser nós....

Se houvesse mais paixão onde antes existia o amor
Talvez as janelas fossem reais, a chuva fosse real...

Tudo é irreal, mesquinho e azedo.
E chuva inexistente, inexplicável
Cai insistentemente nesse verão...

Vou, talvez, quem sabe, procurar outra irrealidade
Amor não, paixão não, talvez alguma vontade de não passar
o carnaval sozinho.

Um comentário:

Prisca, insana criança disse...

Saudade de visitar teu canto...
Saudade de te ver em palavras...

Voltarei...